Select Page

Desde o início, a ideia do cartão de crédito era proporcionar maior facilidade no dia a dia dos usuários, facilitando o processo de compra com a possibilidade de pagamento posterior. Essa ferramenta é excelente para quem quer adquirir um bem ou serviço, mas não consegue realizar o pagamento de forma imediata.

Acontece que, quando utilizado de maneira responsável, esse processo pode comprometer todo uma estimativa financeira e seriamente deixar o indivíduo endividado.

Uma das principais dificuldades do cartão de crédito é que ele proporciona ao usuário a fantasia de que pode gastar dinheiro sem realmente possuí-lo. A falta de educação financeira da população ligada ao estímulo dos meios de comunicação social para realizarmos compras parceladas é um grande aliado para que essa situação ocorra.

O problema começa a crescer quando as pessoas compram, e por motivos distintos se esquecem que o dinheiro das parcelas já está comprometido com as prestações futuras e dão início a novas compras e assim vai acumulando mais e mais parcelas.

Assim como a grande parte das ferramentas financeiras, o cartão de crédito tem seus benefícios e desvantagens. Dessa forma, há situações em que o uso do cartão é a melhor alternativa e outras que não. Abaixo, listamos algumas situações com dicas de como utilizar o cartão da melhor forma.

1. Se existe algum valor de desconto para o pagamento à vista, não faz sentido parcelar a compra no cartão, dado que os juros estão embutidos no preço.

2. Realizar o pagamento de apenas uma parte da fatura em vez de optar pelo valor total é uma das maiores emboscadas no uso do cartão, pois a pessoa pode acabar se atrelando a dívidas por um longo período de tempo. Assim, com o pagamento do valor mínimo, as próximas faturas virão com maiores juros.

3. O usuário tem que ser disciplinado e saber quando é o momento certo para interromper o uso do cartão, caso contrário nem comece a usá-lo. Mesmo que a compra a prazo seja o mesmo valor que o pagamento à vista, se a pessoas não tem disciplina, certamente não saberá aproveitar essa pequena vantagem financeira.

4. Não realizar compras por impulso apenas para acumular pontos em programas de fidelidade. É certo que existem alguns programas vantajosos, mas pensar em apenas acumular pontos pode levar a compras desnecessárias.

5. Consumo regrado auxilia a planejar as finanças. Como citado no começo do texto, o cartão de crédito estimula o consumo de produtos e serviços pelos quais não podemos pagar ainda. É importante focar na ideia de realizar um compra no cartão de crédito somente se você tem certeza de que dinheiro nos meses seguintes será o suficiente para realizar este pagamento. Nunca esqueça a data de vencimento da fatura e as movimentações da sua conta (crédito com o salário ou outros tipos de renda e todos os tipos de despesas que não estão atrelados à compra do cartão). Registrar todos os gastos e identificar “vazamentos” no orçamento, contribuindo com o controle financeiro.

6. Por conveniência e segurança, o uso do cartão evita que o usuário saia com grandes quantias de dinheiro em espécie.

7. Evite a quantidade exagerada de cartões, pois quanto mais cartões você tiver, maiores as chances de você confundir as datas de vencimento, limites e compras feitas em cada um. Dessa forma, utilize no máximo um ou dois cartões. Preste atenção também para a cobrança da anuidade, que pode ter grande impacto em parte da sua renda ao longo do ano.

A partir de agora, quando ouvir a pergunta “débito ou crédito?”, lembre-se dos cuidados apontados acima e faça a escolha que melhor se encaixa de acordo com o seu planejamento financeiro, consumindo com responsabilidade e buscando que o seu dinheiro renda mais.