Select Page

Ultimamente podemos encontrar bastante conteúdo na mídia online especializada cobrindo uma dica específica, bem popular entre alguns blogueiros e jornalistas da área principalmente nos EUA, que é o chamado “no-spend day”, “dia sem gastos” em tradução livre.

O conceito de um dia sem gastos é simples: você resiste a tentação de comprar qualquer coisa naquele dia específico. O dia começa, você não gasta nada, o dia termina, missão cumprida.

A recompensa prometida neste exercício é que te trará algum tipo de compreensão frugal que te fará mudar para sempre seus hábitos consumistas. É um truque atraente, pois não gastar nada em um dia é realmente bem fácil.

Claro, a ideia faz bastante sentido. No entanto, vejo isto como o equivalente para o conselho abaixo:

“Não coma por um dia, para perder peso”

Não faz muito sentido, pois o que provavelmente acontecerá no dia seguinte será você dobrar a quantidade de calorias que você ingere normalmente, simplesmente porque estará morrendo de fome.

Um día sem gasto

Não há muita diferença para um “dia sem gasto”. Pare para pensar, qual o sentido de postergar um comportamento apenas por um dia? A expectativa de vida média no Brasil é de 75 anos (67° no ranking mundial). São 27,375 dias. Abster de um hábito somente um dia dentre 27,375 não faz muita coisa além de deixar este hábito para o dia seguinte.

No entanto, se este dia se tornar uma semana, que se torna um mês, e fundamentalmente muda os hábitos de gasto de alguém para sempre? Aí temos algo. Mas a maioria das pessoas não farão o salto do ponto A para o ponto B.

Se você quer mudar…

Caso você realmente queira mudar, você deve reprogramar seu relacionamento com as coisas materiais. Ao mudar essa mentalidade, você muda o hábito de gasto que levava ao consumismo, e consequentemente irá economizar mais dinheiro.

A maneira mais fácil de fazê-lo efetivamente é:

  • Examine as reais razões por trás de sua motivação para fazer esta compra. Se pergunte se compras similares no passado realmente trouxeram felicidade.
  • Separe “querer” de “precisar”
  • Lembre-se do benefício no curto e longo prazo que evitar gastos traz. Ao curto prazo, você imediatamente economiza, à longo prazo isso se multiplica várias vezes pelo poder de investimentos compostos e altos retornos, garantindo seu futuro.
  • Aprenda e evolua. Mudanças reais demandam trabalho real. Não é um exercício de um dia que você achou legal em um título de blog que te fará mudar.

Talvez seja exatamente isto que faz com que seja tão raro ver alguém realmente mudar da água para o vinho. Vemos diversos “conselhos” e “dicas” cujos autores dizem ser “infalíveis”, mas o poder de realmente adquirir novos hábitos não está em algum artigo ou método popular. Basta abrir a mente e estudar seu próprio caso e como você pode ter hábitos financeiros melhores e você se tornará seu próprio guru.