Select Page

Sabemos que ter um controle financeiro é chato, mas que pode ser indispensável para quem deseja prosperidade duradoura. Isso é possível de ser alcançado sem ter que deixar de gastar. A questão é que deve-se gastar com o que for mais interessante e livrar-se do que interessa menos. Dessa forma, poderá direcionar o que foi economizado para outros gastos que verdadeiramente agreguem qualidade de vida.

Fique atento a todos os seus gastos, pois os pequenos podem não ser tão pequenos assim e os grandes podem não ser tão nocivos se forem planejados.

Dessa forma, listamos algumas práticas que podem ser adotadas para “aperfeiçoar” a maneira de consumo e realizar seus gastos de forma mais esperto.

1. Controle e disciplina

Ser disciplinado com seus gastos é ao mesmo tempo a parte mais fácil e mais difícil de ter uma vida financeira equilibrada. Provoque conversas sobre dinheiro na família e entre amigos e discutam sobre dicas utilizadas e as ferramentas necessárias que deram certo e auxiliaram o equilíbrio financeiro. Todos devem pensar em fazer dinheiro e não em ganhar dinheiro, pois o “fazer” evidencia atividade, enquanto “ganhar” demonstra passividade. O nível de conhecimento não é necessariamente um item primário, porém é realmente preciso ter uma grande dose de disciplina e motivação para manter hábitos financeiros saudáveis. Evite gastar mais do que ganha.

2. Adequação sempre

Todos temos talento para produzir dinheiro, falta nos adequarmos em relação àquilo que podemos melhorar. Somos capazes de conseguir aumento da remuneração de algumas maneiras, como a especialização em sua atividade atual ou criando novas fontes de renda. Isso tudo é ligado a qualidade de vida e a importância que isso tem na nossa vida. Para buscar o aperfeiçoamento, devemos nos adequar a tudo que conseguirmos medir, pois manter os registros atualizados das nossas finanças, como por exemplo, o quanto ganhamos, quanto gastamos e em quê, nos torna melhores e mais corretos na nossa vida financeira.

3. Evite comprar por impulso

Um dos maiores “destruidores de finanças pessoais” é o costume de realizar compras por impulso. Para evitar esse tipo de armadilha, é importante criar uma “regra” que não permita a aquisição de um produto no mesmo dia em que o vemos, a não ser que seja uma emergência ou algo de uso cotidiano, como itens comprados em supermercados e afins. Ao ver um produto qualquer, veja o preço, anote e vá embora. Preveja o que acontecerá com seu dinheiro antes de dar destino a ele. Espere o dia seguinte e, se a necessidade de comprar aquele produto ainda existir, volte na loja e compre. Porém, se você troca seu dinheiro por mais um sapato, você não tem mais dinheiro, e, sim, um artigo que sairá da moda em breve. Pessoas que conseguem adotar essa prática descobrem que a maioria das necessidades e desejos de consumo “some” no dia seguinte. Pense que, se você colocar seu dinheiro em uma aplicação financeira, em breve terá o dinheiro e mais uma quantia para comprar sapatos a cada estação.

4. Investir em conhecimento

Pensar e planejar o curto, o médio e o longo prazos. Montar um ranking de prioridades nos gastos, colocando em primeiro o que dá mais prazer, como a prática de um esporte ou a manicure semanal. Assuma a responsabilidade por suas decisões financeiras, toda e qualquer ação tomada não é culpa dos outros.

Salve seu dinheiro evitando o consumo que não te leva a lugar algum, como comer algo enquanto espera o embarque em uma viagem. Todos devem ter foco em consumir o que é duradouro, desta forma, as grandes conquistas serão muitas e todos os sonhos e metas serão atingidos.